Um Testemunho mais Coerente

Publicado em 16/09/2011

Em nossa cultura secularizada, temos a tendência de separar fé e razão, religião e trabalho, ciência e Bíblia. Vivemos uma coisa na igreja e outra no cotidiano. Imagina-se que pode haver uma dicotomia entre mente e corpo, religião e estilo de vida...

Contudo, tenho chegado à conclusão cada vez mais firme de que é impossível separar nossas pressuposições, religião e filosofia de nosso cotidiano geral. Uma coisa influencia a outra. Nosso trabalho influencia nossa vida religiosa, nossa filosofia de vida influencia a maneira como falamos, nos vestimos, e até mesmo a qualidade de nosso serviço prestado.

Assim, fica evidente que devemos procurar conceitos e pressuposições de confiança para nortear nossa existência, além de vivê-los na prática... Falando sobre o assunto, Ellen G. White afirma: “É o dever de todo cristão adotar hábitos de ordem, perfeição e presteza. Não há desculpas para a morosidade e imperfeição em trabalhos de qualquer natureza. Pela falta de decisão de se reformarem radicalmente, as pessoas podem tornar-se arraigadas em maus costumes; ou, pelo cultivo de todas as nossas faculdades, adquirir a capacidade de fazer o melhor serviço. Serão procuradas em toda e qualquer parte. Serão apreciadas por tudo de que são dignas. Hábitos indolentes e descuidosos tolerados no trabalho secular serão introduzidos na vida religiosa, e nos tornarão incapazes de fazer obra eficiente para Deus. Muitos que pelo trabalho aplicado seriam uma bênção para o mundo, foram arruinados pela ociosidade. A falta de ocupação e propósito inabalável abre a porta para milhares de tentações. Más companhias e hábitos viciosos depravam a mente e a alma, e a consequência é ruína para esta vida e para a vindoura.” (Parábolas de Jesus, pág. 344-345)

Com isso em mente, vale a pena pensar duas vezes antes de fazer alguma atividade pela metade, com a impressão de que ninguém notará. Vale a pena dar o melhor de si em todos os pormenores da vida, pois passamos por aqui apenas uma vez, e nossa marca ficará registrada para sempre.

Além disso, vale reconhecer que a maneira como desempenhamos nosso trabalho cotidiano dirá ao mundo se levamos a sério o que cremos ou não. Tenho visto muitos “cristãos” por aí dando lições de moral em seus colegas de trabalho, na faculdade ou mesmo entre a família, tentando testemunhar de Cristo, falando de salvação, mas ao mesmo tempo desempenhando suas tarefas cotidianas relaxadamente, sem nenhuma dedicação. Isso é hipocrisia! Isso desacredita

A maneira como vivemos o dia a dia testemunhará mais que nossas palavras. Nossas atitudes têm muito mais peso que nossas crenças. Afinal, o que é visto pelo mundo não é o que você é por dentro, mas o que você faz!

Sejamos mais coerentes em nosso testemunho! Busquemos ideais de vida mais elevados. Saiamos da mediocridade!

Forte Abraço!

Pr Moisés Móra

kariscoral@gmail.com
Igreja Adventista de São Francisco do Sul