A Ineficácia da Teologia da Prosperidade

Publicado em 08/07/2011

Vivemos uma época em que o homem se acha como patrão de Deus, como se a religião fosse apenas uma agência prestadora de serviços.

O mundo tem pregado um cristianismo barato, uma religião sem compromisso. O mundo prega um Deus que se acomoda à nossa rotina apenas para satisfazer os nossos caprichos pessoais.

Tem sido pregado um cristianismo de conforto, dando a impressão de que se você aceitar a Cristo nunca mais terá problemas em sua vida.

Hoje é comum, o discurso da “teologia da prosperidade”, e algumas igrejas chegam até a afirmar que se você fizer isso ou aquilo, se der todo o seu dinheiro à igreja, então não terá mais dificuldades, doenças nem preocupações...

Muitos compreendem a pessoa de Cristo apenas como um amuleto – vão à igreja aos finais de semana, ouvem sobre Jesus e pensam que naquela semana não terão mais problemas. O interesse pessoal é a razão de sua busca. Não há amor a Deus. Outros ainda dizem: “aceite a Cristo e este seu problema vai passar...” “Aceite a Cristo e nunca mais terá dificuldades...” Desta forma, Cristo é vendido como um analgésico, e passa a ser visto como uma coisa a ser obtida, deixando de ser nosso Salvador com quem devemos nos relacionar!

Esses conceitos sobre cristianismo estão em desacordo com a Palavra de Deus! Mesmo entregando nosso coração a Cristo, ainda enfrentaremos dificuldades...

O salmo 121 expressa bem o que muitos servos de Deus têm experimentado ao longo das eras: “Elevo os olhos para os montes, de onde me virá o socorro?” Esse salmo faz lembrar a história dos israelitas, quando de sua saída do Egito. Felizes por seguirem rumo a Canaã, a terra da promessa, comemoravam sua liberdade. Contudo, em certo momento chegaram a um beco sem saída. Ao seu lado, montanhas instransponíveis, Às sua frente o mar vermelho, e atrás o exército de Faraó que marchava furiosamente para tentar recuperar suas escravos... O que fazer nesse momento? De onde viria o seu socorro?

Eles clamaram a Deus, e a resposta do Senhor foi: “Marchem!” Mas marchar para onde Senhor? Não há saída, estamos presos! O que faremos agora? Novamente a ordem: “Marchem!” E ao obedecerem a voz de Deus e marchar, o mar se abre, dando espaço para o povo passar a seco, experimentando a liberdade no poder de Deus!

É provável que em sua vida você tenha chegado a alguma encruzilhada parecida com essa citada acima: olha para os lados e vê apenas os montes da dúvida, do fracasso pessoal, do desespero, das dívidas, da enfermidade, etc... “De onde me virá o socorro?” É o clamor natural em tais momentos... Do mesmo modo que o Senhor abençoou os israelitas que nEle confiaram, abençoará os que derem ouvidos à Sua voz hoje também!

Como o salmista, podemos dizer confiantes: “O meu socorro vem do Senhor, que fez o Céu e a Terra...” Se Deus não abrir o mar para você passar, Ele te fará caminhar por sobre as águas tempestuosas dessa vida. Mas devemos confiar! Devemos nos entregar aos Seus cuidados!

Do mesmo modo que fez aos israelitas, Deus nos ordena hoje que marchemos! Apesar dos problemas, marchemos!

Outro salmo poderoso da Palavra de Deus que nos indica como é a vida do cristão, é o salmo 91:

“O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente, diz ao Senhor: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu em quem confio. Pois Ele te livrará do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa. Cobrir-te-á com suas penas e sob suas asas estarás seguro. A sua verdade é pavês e escudo. Não te assustarás do terror noturno, nem da seta que voa de dia, nem da peste que se propaga nas trevas, nem da mortandade que assola ao meio dia. Caiam mil ao teu lado, e dez mil à tua direita; tu não serás atingido. Somente com os teus olhos contemplarás e verás o castigo dos ímpios. Pois disseste: O Senhor é o meu refúgio. Fizeste do Altíssimo a tua morada. Nenhum mal te sucederá, praga nenhuma chegará à tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos para não tropeçares nalguma pedra. Pisarás o leão e a áspide, calcarás aos pés o leãozinho e a serpente. Porque a mim se apegou com amor, Eu o livrarei. Pô-lo-ei a salvo porque conhece o meu nome. Ele me invocará e eu lhe responderei. Na sua angústia estarei com ele, livrá-lo-ei e o glorificarei. Saciá-lo-ei com longevidade, e lhe mostrarei a minha salvação.”

Conforme a Bíblia afirma nesse salmo, Deus não prometeu uma vida isenta de dificuldades, mas garantiu Sua presença ao nosso lado em todos os momentos. Deus não prometeu que ficaríamos livres do passarinheiro, mas do seu laço... Deus não nos prometeu que em nossa jornada não haveria perigos, mas em meio ao perigo prometeu proteger-nos sob Suas asas...

Ele não disse que não haveria batalha; pelo contrário, no momento em que a batalha se fizesse mais feroz, mil cairiam ao nosso lado e dez mil à nossa direita, mas nós não seríamos atingidos... Infelizmente, muitas pessoas preferem uma vida espiritual sem compromisso do que estar na linha de frente na batalha. Isso momentaneamente pode parecer mais confortável, contudo, ao final se revelará em uma vida vazia e sem significado.

O próprio Jesus disse que no mundo teríamos aflições, mas devemos ter bom ânimo, pois Ele venceu o mundo, e nos dará poder para fazermos o mesmo!

Não podemos parar na caminhada cristã, isso seria o mesmo que regredir. Em Lucas 9:23 lemos o chamado ao discipulado: “Se alguém quer ser meu discípulo, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me”. Cada pessoa carrega sua cruz. Todos enfrentamos problemas que nos entristecem, mas devemos suportar as provações, é por meio delas que nosso caráter é moldado...

Ser um discípulo de Cristo envolve três coisas: 1) negar o próprio “eu”; 2) tomar a nossa cruz diariamente; e 3) seguir a Jesus. Há pessoas que estão dispostas a se humilhar e negar o próprio “eu”. Também carregam sua pesada cruz, mas se esquecem de seguir a Jesus, ficam vagueando de filosofia em filosofia, como que sem rumo neste mundo escuro... Devemos seguir a Jesus!

Para os que seguem a Jesus, o caminho é apertado e difícil. Haverá momentos em que o peso da cruz arderá sobre nossas costas, e somará a isso a dor de nossos pés que estarão caminhando por uma estrada cheia de pedras e estreita – esse é o caminho da salvação... Contudo, no momento em que você estiver quase não aguentando mais o peso da cruz e a dor em seus pés por causa das pedras do caminho, “Deus enviará os Seus anjos, para que te guardem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos para não tropeçares nalguma pedra”. As pedras continuarão lá, contudo, você não tropeçará nelas!

Deus não prometeu que na caminhada cristã Satanás não nos atacaria, pelo contrário, Cristo nos advertiu a estarmos sóbrios e vigilantes, pois o inimigo estaria rugindo como um leão ao nosso redor tentando nos tragar. A promessa de Deus, porém, é que no momento em que o inimigo avançar para nos derrubar – como faria um leão feroz – ou como a serpente no Éden, tentar nos enganar e nos fazer cair no pecado, Deus promete: “Pisarás o leão e a áspide, calcarás aos pés o leãozinho e a serpente!” O inimigo estará vencido se tivermos a verdade a nos proteger, pois a “sua verdade é pavês e escudo”. Mas o que é a verdade? O mundo anda em busca da verdade. Alguns dizem não haver verdades absolutas. Nesse período pós-moderno, cada pessoa tem criado suas próprias verdades e vivido segundo seu desejo. Contudo, a Bíblia deixa-nos bem claro onde encontrar a verdade: “Santifica-os na verdade, a Tua Palavra é a verdade!” (Jo 17:17). E Cristo também disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14:6). A Bíblia é a verdade que nos conduz à Verdade maior que é Cristo!

Assim, os problemas em nossa vida não são sinônimos da ausência de Deus, pelo contrário, se nos apegarmos a Ele e o conhecermos, Ele nos livrará e nos salvará, pois “porque a mim se apegou com amor, Eu o livrarei; pô-lo-ei a salvo porque conhece o meu nome!”

Talvez você esteja cansado de pedir, clamar e chorar a Deus para que alguma situação mude em sua vida. Lembre-se que Deus nos concede sempre o melhor, e não apenas o que desejamos. Nossa visão é muito limitada, mas Ele sabe o que realmente precisamos.

“Porque eu estou bem certo de que os sofrimentos presentes não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós!” (Rm 8:18)

“Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o Seu propósito” (Rm 8:28)

O silêncio de Deus é a resposta mais eloquente às nossas indagações!

kariscoral@gmail.com
Igreja Adventista de São Francisco do Sul